Negação + racismo velado são o que mais me preocupa nessa luta contra o racismo. Encobrir essa violência, negando-a desesperadamente, baseando-se na “supremacia” de ser só quem você é mesmo (nenhum desses que citei é antropólogo, historiador, sociólogo, nada disso) talvez me pareça o pior face do racismo, porque tenta calar uma dor que nenhum deles sofreu e jamais vai sofrer.
  • Lud

    Nem me espanto! Porque passei a infaÂncia ouvindo que negros fedem. Pensa na confusão feita na cabeça de uma criança, quando percebi que brancos também exalavam odor forte quando suavam!!
    Mas estranho era ouvir: “você tem traços de branco”. Eu nem sabia o que isso significava! Mas era o que se falava quando se queria elogiar uma criança negra.
    E, não, não tenho traços de branco!!!
    Agora, a BBB só colocou em cadeia nacional o que se fala todos os dias, todas as horas, em todos os locais.

    ACABEI DE CONHECER O BLOG, JÁ FIQUEI FÃ.

  • Lindo texto/desabafo! É o que eu friso em todos os espaços onde escrevo sobre os assuntos da militância. O que as pessoas fazem quando são apontadas por algo que não é bem visto? Dizem que VOCÊ é que entendeu errado, ou passam a fazer escondido. É o mesmo caso de frases que começam ou terminam com “gente, não é preconceito, é só minha opinião/piada/comentário/etc”.

  • Natália

    Bom, aparentemente o Vinícius foi preso injusta e precipitadamente. Diferentemente da maioria dos negros, ele era ator. E, conhecendo a nossa sociedade e a nossa ‘amável’ televisão, negros atores têm bem mais dificuldade do que uma pessoa de olhos claros e/ou branca para conseguir um papel na televisão; diga-se de passagem, muitas vezes já são papéis que “só poderiam” ser de negros (exemplo: no tempo da escravidão).
    Quantos outros negros já foram presos de forma injusta, graças a tanto racismo e estereótipos, que não tinham nem sequer parte da estrutura que ele conseguiu? Com certeza, muitos. Agora, somem isso a todos os problemas decorrentes do racismo que de costume já têm de ser enfrentados por nós e por nossas famílias, há muitos séculos… aí a vida fica difícil, né?
    Nessa matéria (http://www.geledes.org.br/racismo-preconceito/racismo-no-brasil/23519-vitima-o-reconheceu-duas-vezes-diz-delegado-sobre-prisao-de-ator) há a informação de que Vinícius, para complementar a renda, também trabalhava como vendedor em uma loja. Agora imaginem, se ele não fosse também ator e ainda por cima fosse filmado no noticiário com aquela boa frase embaixo “Ao vivo! Prisão de covarde que assaltou e agrediu copeira”. Pronto! Até explicar (isso se conseguir, né) lá se vai o emprego, e lá vem mais uma dificuldade.

  • Carolina

    Soco no estômago!