O feminismo negro é prático, pois dialoga com a periferia e necessita desse diálogo uma vez que se constrói dentro e juntamente com ela.