Percebo que a maioria de nós está no Youtube falando de estética negra, das lutas diárias e de empoderamento. Existem falas sobre entretenimento, mas é como se encontrássemos no vídeo uma forma de gritarmos nossas inquietações e observações e sermos vistas.