O clipe do single “Cheguei” em que a Ludmilla é a nova Regina George, abelha rainha da escola onde o filme Meninas Malvadas (2004) acontece, foi ao ar na semana passada e todo mundo só falava disso. Dessa vez, a popular da escola é negra, tem amiga transsexual e é admirada por: brancos. “Tá, Jennifer, e daí?” E daí que precisamos falar de Ludmilla, precisamos falar de representatividade negra.

Ludmilla é aquela garota que ninguém dava nada, todo mundo achou que teria um single e sumiu, como outros tantos funkeiros. Mas não é isso que aconteceu. A carioca vem lançando um sucesso atrás do outro, sempre com videoclipes superproduzidos e singles que tocam o tempo inteiro nas rádios e baladas do Brasil todo. Mas quem é Ludmilla? Numa busca rápida no google encontramos:

Ludmila Oliveira da Silva é uma cantora, compositora e empresária brasileira negra de funk melody e música pop nascida em Duque de Caxias, cidade da Baixada Fluminense do Rio de Janeiro. Começou sua carreira como MC Beyoncé, e seu primeiro sucesso veio em 2012, quando “Fala Mal de Mim” estourou nas rádios. Em 2014 assinou contrato com a gravadora Warner Music para lançar seu primeiro álbum de estúdio, “Hoje”. De lá para cá foram muitos e muitos singles, como “Sem Querer”, “Hoje”, “Te Ensinei Certin”, “Não Quero Mais” e “24 Horas por Dia”. O CD “A Danada Sou Eu” veio em 2016, e com ele, mais sucessos, como “A Danada Sou Eu”, “Bom” e o mais recente “Cheguei”.

Mas estamos aqui para falar do novo clipe da Ludmilla, certo? Certo. Então eu acho interessante levantar alguns questionamentos em torno de tudo o que o envolve.

Nas suas escolas de ensino médio, quantas “abelhas rainhas” são negras? Na faculdade, as meninas consideradas as mais bonitas são negras? Na sua turma da faculdade, tem quantas negras? Como os homens tratam as brancas e como tratam as negras? Nesses quase seis anos de graduação, vi negras sendo tratadas como descartáveis e brancas sendo postas em pedestais. No meu ensino médio, assim como na faculdade, as meninas mais bonitas e admiradas em sempre brancas, na maioria das vezes ruivas ou loiras.

Quem são as mulheres bonitas da TV? Quem são as protagonistas nas novelas e filmes? “Malhação” é um programa da Rede Globo sobre adolescentes para adolescentes que está no ar há 22 anos. Sua primeira protagonista negra foi em 2016. Que tipo de negra ela era? Negra com traços “brancos”, como boca fina, nariz mais pra fino que pra grosso, cabelo alisado, olho puxado. Que tipo de padrão temos como referência na TV brasileira atual?

Regina George é uma personagem que toda uma geração de meninas nascidas nos anos 90 ou quis ser – não necessariamente a malvada, mas a popular, a que todos gostam ou querem agradar – ou já sentiu humilhada por uma. Isso acontece porque são elas – mulheres brancas, loiras, magras e de cabelo liso –  que estão sempre no topo. Ter uma Regina George no Brasil, no Rio de Janeiro, negra, cantando funk e com uma mulher trans ao lado é de mexer com nossos corações. Quem ainda não viu o clipe, segue o link:

Muito sucesso à Ludmilla! A cantora que completou há pouco tempo 22 anos chegou chegando bagunçando a zorra toda e vem mostrando que ela pode mais, muito mais, e vai muito longe!

Imagem destacada – Divulgação