É algo comum depararmos com argumentos que, para menosprezar as manifestações contra racismo, afirmam que não há mais racismo em nossa sociedade, que há um excesso do “politicamente correto” ou que a população negra assumiu uma postura de vítima nos últimos tempos. Mas a realidade é bem diferente, e pode-se perceber diante disto, que a forma como pessoas negras não estão mais aceitando atitudes racistas, seja por meio de brincadeiras, na mídia, ou nos ambientes que frequentam, incomoda quem sempre praticou o racismo. Negras e negros, através do avanço da velocidade das informações e também da tecnologia, hoje podem reivindicar seus direitos de forma mais abrangente.

O fato real é que pessoas negras passam por situações racistas de forma cotidiana, e o racismo pode se apresentar de forma explícita ou “velada”. Esta última pode até mesmo ser considerada a mais ofensiva, justamente por a sociedade não considerar como racismo.

Entende-se como racismo velado aquele que não expõe a pessoa de forma escrachada, não há palavras ofensivas remetidas a uma determinada pessoa ou grupo. Trata-se de olhar para uma pessoa negra e já identificá-la como ladra, como marginal, como aquela que não tem dinheiro para frequentar tal lugar ou comprar em uma determinada loja. Também entra no rol do racismo velado quando se fala em determinadas profissões. As que exigem cursos de graduação, nunca são relacionas às pessoas negras, ficando estas sendo sempre taxadas como detentoras de profissões operacionais. Neste item, que fique bem nítido que não há, neste texto, preconceito com cargos operacionais, mas sim uma crítica de que, para a maioria das pessoas brancas, o povo negro nunca pode ter uma carreira promissora.

Pare Racismo. Fonte: Imagem do Flickr de Reginaldo Capassi, alguns direitos reservados

No que tange aos estudos, negras e negras também são subestimadas (os) no ambiente acadêmico. Na graduação e principalmente na pós-graduação, há um corrente não aceite destas pessoas neste ambiente, e com tão avançado grau de estudo. Há olhares que entregam o espanto de ver ou saber que uma negra ou um negro está cursando um Mestrado ou Doutorado, e isto acontece de forma independente de posições políticas, ocorrendo com pessoas tanto de direita quanto de esquerda. Aliás, o que sempre se vê, é um alarde e muitas teorias em cima de nossas pautas, mas poucas ações. E quando o povo negro traz suas pautas específicas dentro de algum Movimento Social, sempre são deixadas de lado, afinal, há “coisas mais importantes para resolver”.

Pessoas negras ainda são vistas como suspeitas em muitos lugares, sejam em lojas, restaurantes, bancos, grandes eventos, entre outros. Não é difícil encontrar casos de pessoas que foram seguidas em shoppings, ou até mesmo foram ignoradas ao entrar em determinadas lojas. Um caso recente aconteceu em uma loja de perfumaria e cosméticos muito conhecida onde uma mulher negra foi tentar comprar um lápis para olhos, mas não conseguiu, sendo informada que havia disponibilidade deste produto na loja. Mas em poucos minutos, uma mulher loira conseguiu comprar três amostras do produto solicitado. Também as vendedoras e o segurança acharam que ela poderia roubar algum produto.

Neste caso, muitas pessoas diriam que não se trata de racismo, que faz parte de funcionários (as) de um comércio agir desta forma, e que se trata de mais um caso de vitimização. Sim, é desta forma que o combate ao racismo e toda a luta do povo negro é encarada.

Alguns avanços ocorreram relacionados às conquistas de pessoas negras, e com relação ao respeito pelas reivindicações contra a opressão que o racismo causa. Mas há no momento um movimento retrógrado na sociedade, onde estão tentando acabar com direitos conquistados, e isto afeta diretamente o povo negro. Há a necessidade da união cada vez maior de pessoas que lutam contra o racismo, para que se possa avançar cada vez mais, e mostrar à sociedade que há uma intolerância frequente com relação à raça negra, e que ainda muitas pessoas não consideram como tal.

O racismo está impregnado dentro das pessoas não negras, e quando elas assumirem que realmente agridem o povo negro com suas atitudes, muito pode ser feito e melhorado.