O Blogueiras Negras foi pensado desde seu começo a partir de alguns pilares. Obviamente a negritude e o feminismo, mas também com caráter sem fins lucrativos e apartidário. E assim continuamos, por isso pedimos que você que lê e utiliza nossos textos como referência considerem com carinho nosso pedido para colaborar com a gente. Isso nos ajudaria a comprar equipamentos melhores e remunerar ainda que simbolicamente todas as mulheres que fazem a mágica acontecer.

Pra você que já doou, pra você que vai doar e pra você que está falando sobre isso.

Já agradecemos.

Sobre nosso caráter apartidário, seguimos firmes nesta toada também. O que não quer dizer que não buscamos maneiras de colaborar politicamente com a nossa comunidade. O Blogueiras Negras tem atuado na construção e enegrecimento do Me Representa, uma iniciativa que busca qualificar o voto através da valorização dos direitos humanos.

Isso tem tudo a ver com você, comigo, conosco. Porque agora queremos propor mais. Mas vamos por parte. Ainda tem muito assunto.

Pacote do veneno

Essa semana todas vimos o Pacote do Veneno ser vergonhosamente aprovado apesar de organizações como a ONU (Organização das Nações Unidas) alertar sobre o perigo da contaminação das águas num documento ainda em inglês, do MPF (Ministério Público Federal) ter emitido uma nota técnica evidenciando como o projeto de lei se caracteriza inconstitucional, o Inca (Instituto Nacional do Câncer) ter se manifestado sobre quais os riscos que a medida significa quando o assunto é saúde pública. Isso sem falar da nota técnica da Fiocruz e iniciativas como a Contra Agrotóxico da Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva).

Nos anos 2000 como sociedade, consumimos 313.824 toneladas de agrotóxicos e em 2015 esse número saltou para alarmantes 887.872 toneladas, palavra que sim, precisamos repetir, toneladas! A Abrasco já conta mais de 7 litros por pessoa e além da comida, o próprio leite materno está em risco.

Numa extremidade os grandes produtores de veneno que poderão ser chamados a partir de agora de defensivos agrícolas ou fitossanitários que lucraram mais de 12 bilhões de dólares em 2014: BASF, Bayer, DuPont, Dow Chemical, Monsanto, e Syngenta. Tendo em contrapartida 70 mil mortes por anos nos países em desenvolvimento. No Brasil se tais mortes tivessem um avatar, possivelmente ele seria negro, mulher e rural.

Nas cidades, nós mulheres negras somos responsáveis por mais da metade das famílias chefiadas por mulheres tendo 69% das nossas famílias com renda de até um salário mínimo, segundo o Retrato das Desigualdades de Raça e Gênero. Como garantir comida na mesa e de qualidade quando querem que a gente engula agrotóxicos que já não tem outros mercados consumidores?

O Pacote do veneno é de autoria do atual Ministro da Agricultura Blairo Maggi que personifica com perfeição a bancada ruralista, e engloba também os interesses da indústria tabagista com o bancada do fumo. A afinidade não é por acaso, a substituição do conceito de perigo pelo mito do uso seguro e qualquer brecha no controle dos rótulos seria muito bem vinda para os fabricantes de cigarros que respondem por 13% das mortes no país.

Votaram a favor do Pacote do Veneno os deputados Adilton Sachetti (PRB-MT), Alberto Fraga (DEM-DF), Alceu Moreira (MDB-RS), Celso Maldaner (MDB-SC), César Halum (PRB-TO), Covatti Filho (PP-RS), Fábio Garcia (DEM-MT), Geraldo Rezende (PSDB-MS), Junji Abe(MDB-SP), Luís Carlos Heinze (PP-RS), Luiz Nishimori (PR-PR), Marcos Montes (PSD-MG), Nilson Leitão (PSDB-MT), Prof. Victorio Galli (PSL-MT), Sérgio Souza (MDB-PR), Tereza Cristina (DEM-MS), Valdir Colatto (MDB-SC) e Zé Silva (SD-MG).

Pessoas que defendem projetos ainda escravocratas e desumanos, ancoradas por dinheiro graúdo, pelo privilégio e pela branquitude.

Seu voto conta, #VotePreta

O cenário das tramas e costuras foi a Câmara dos Deputados, seus protocolos e comissões onde somos subrepresentadas, com poucas de nós reconhecidas ou visibilizadas.

Recentemente o Blogueiras Negras foi convidado para o Café com Elas em Brasília e pudemos ter um vislumbre de como a máquina funciona. Nós fazemos política aqui fora, mas é por dentro que compreendemos melhor como as engrenagens se movem. E as duas estratégias não são excludentes, aliás.

A deputada Benedita da Silva nos deu a letra – precisamos garantir o estado democrático de direito. Nós concordamos em peso, através de inúmeras pré-candidaturas de mulheres negras que estão em movimento pela comunidade.

Precisamos responder juntas, em primeiro lugar entendendo que o voto é como uma moeda que não podemos desperdiçar, mas fazer circular entre nós. O melhor voto de protesto não é votar em branco, é votar em preta! Conheça as ideias, as plataformas, a luta e a estória de mulheres que estão disputando esses espaços como nossa Ministra, Luiza Bairros, presente!

Nosso convite para você, mulher preta cabritada é contar sua estória pra gente através de um formulário simples e fácil de preencher. Vamos reunir esse conteúdo e publicar a partir do dia 16 de agosto até o dia 04 de outubro no Vote Preta e com divulgação nas nossas redes, obedecendo a ordem de chegada e o respeito aos valores editoriais do Blogueiras Negras, a completa ausência de violências práticas e discursivas.

Para contar sua estória e partilhar sua estória vem pro nosso formulário.

Acesse!

Esse ano, não vote em branco, vote preta!

.

.

.

Imagem: Luiza Bairros, Na mídia news