Águas do meu mar.

Aviso de cuidado – Esse texto é recomendado para maiores de 16 anos.

.

.

.

Você entra no meu mar e se molha, mergulha fundo com o rosto e as ondas vêm fortes. Sua língua nada, indo e vindo no meu litoral, sem pressa porque o mar sempre está lá, nunca seca. Às vezes você se deita e deixa meu mar se sobrepor, segurando forte nas conchas, coxas, na areia que se dispersa entre seus dedos. O mar sempre ecoa barulho, respirando ofegante e em estalo toda vez que as ondas batem no seu rosto. Ondas grandes, assim como um arco em coluna, que te cobrem por inteiro, te deixando com cheiro de mar, de sal, meu cheiro. O mar se esfrega em você,  acompanhando cada movimento seu, escorrendo em sua virilha, te  fazendo suar mesmo estando molhada. A água não parece ter fim,  mais fundo fica a cada traço traçado de sua língua em mim, nesse  mar sua boca nunca fecha, se afogar será sua dádiva, assim como  me ter toda para você. Dizem que mar não tem cabelo, mas esse  tem e puxar deve ser sua ação, puxando mesmo que não caiba  tudo em suas mãos, torcendo para mais próximo de ti, querendo  que o mar se firme em você virando um só. Era rio, mas você  entrou com calma, abrindo caminhos até que eu virasse mar,  entrando e saindo, observando a profundidade aumentar e chegar  em um ponto de evaporação, a água sobe e chove em você, chove  e parece que sua sede nunca cessará, igualmente ao desejo  contido em mim. A cor quase pouco importa, o mar é azul porque  reflete do céu, aquilo que provém do meu íntimo é transparente, é  branco, é da cor que me dou porque reflete no quanto eu preciso  te dar partes minhas, que se multiplicam ao se misturarem às suas.  Meu mar inteiramente aberto, esperando você para ser explorado,  ninguém nunca conheceu tanto, e sem medir esforços foi  manuseado em suas mãos, rosto, em teu corpo. Meu rio ansiando  ser transformado em mar por você, entre fundo, mergulhe, se  afogue, receba todo meu desejo em me dar, em te dar, em ser mar. 

You May Also Like

As feministas negras e as de cor diferente

Nossa negritude não pode ser escondida, e as feministas pretas não podem ser apenas feministas, um movimento só de mulheres brancas não representa toda a nossa necessidade, ao decorrer dessa nossa luta contra o poder que vem do pênis temos que parar e discutir o que é ou não racismo com feministas de outra cor ,e isso é retrocesso, enquanto fazemos isso os caras ensinam as meninas que umas são pra casar e outras para foder , e lá estamos nós no meio do caminho explicando as nossa parceira de luta que “ TUAS NEGA” é machismo e racismo junto.