Artista Amazonense cria série “Rascunhos”, coleção de fanzines com narrativas poéticas

A autora Dheik Praia divulga seus escritos de forma ambulante por onde passa.

Por meio da série de fanzines “Rascunhos”, que aborda narrativas cotidianas de luta, resistência e poesia, a artista amazonense Dheik Praia apresenta a 3ª e última edição da coleção que, desde 2018, proporciona em poesia, os passos dados pela artista que, atualmente, mora em Água Fria na Bahia. Dheik vê na escrita, uma forma de subsidiar a sua existência e sua movimentação enquanto artista independente.

A coleção “Rascunhos” possui duas edições já lançadas, intituladas: “Rascunhos do Porvir”, “Rascunhos do Sentir”, e a terceira edição, “Rascunhos do Voltar”, inicia sua circulação no mês de Junho.

“O meu processo na escrita já vem de muitos anos, desde que me entendo por gente, mas somente em 2015 descobri que poderia publicar esses textos em forma de fanzine, onde aprendi que a experimentação também pode ser uma prática da literatura.

Passei a comercializar esses trabalhos por lugares, cidades e estados por onde andei. Em 2018, comecei a contar com o apoio de outros profissionais na revisão, ilustração, diagramação e impressão”, explica Dheik Praia.

A autora conta ainda que a distribuição desse material nas ruas da Bahia, é de fundamental importância para a continuação dessa iniciativa e para sua afirmação como escritora. “A escrita aqui na Bahia é muito importante pra mim, eu amo esse lugar e ele me inspira a escrever. Aqui também ocorre algo diferente, não tenho vergonha de ir pra rua vender, coisa que eu não consigo fazer em Manaus. Ao passo que eu mantenho meu movimento com a venda, também sinto cooptar leitores e possíveis parceiros da minha escrita futura”, comenta Dheik Praia que vende suas poesias aos fins de semana, na Orla de Salvador e adjacências.

Oficina de Formação – Além da produção e a distribuição de fanzine, a artista busca socializar essas ferramentas de escrita. A arte educação está presente na vida da aspirante há muito tempo, desde Manaus, quando construiu juntamente com Keila Sankofa a vivência de produção audiovisual chamada “Cine Bodó”. Na Bahia, Dheik se dedica à escrita e sempre que é possível, à socialização dessas ferramentas.

“Participo de um grupo em São Félix chamado Coletivo Catarinas e lá, tive a oportunidade de realizar, juntamente com as outras mulheres, uma oficina de poesia intitulada “Escritas de si para deixar ir”. Esse coletivo trabalha com mulheres em vulnerabilidade e as narrativas presentes no fanzine que escrevemos ao longo da vivência, traduzem isso. Ou seja, compartilhar formas de escrita como prática de cura é fundamental”, destaca Dheik.

Partindo desse pressuposto, Dheik se uniu à Atanael Barros, jovem poeta de Água Fria, para construir a Vivência “Sertão de Poesia”, onde irão conduzir jovens da Comunidade Maracaiá, zona rural do município, pelas possibilidades da escrita poética.

“As minhas expectativas são as melhores para essa vivência, não apenas pela juventude que terá acesso a esse conteúdo, mas também por nós que vamos ter a oportunidade de conhecer e aprender com esses jovens. A troca é mútua de aprendizado, vai ser um passo importante inclusive na minha carreira acadêmica, que pretendo lecionar no futuro”, explica Atanael Barros. “Acredito que cada passo é o início de uma caminhada e saber que é possível transcrever percepções cotidianas, pode ser muito importante para os jovens que irão estar conosco na primeira edição do Sertão de Poesia”, finalizou Dheik.

Para quem possa se interessar em conhecer o trabalho poético de Dheik Praia (@nuvensdepraia) e Atanael Barros (@atanael_barros), basta entrar em contato com os dois em suas respectivas redes sociais, onde eles divulgam seus escritos e podem articular entregas dos impressos para todo o Brasil.

Imagem – Dheik Praia – Poetisa – Foto de Victória Nask