Nessa sexta, dia 21 de setembro, UBUNTU RIO, em Ato Show em Combate ao Racismo Institucional e a Intolerância Religiosa, a partir das 16h, na Cinelândia.

CIRCUITO UBUNTU RIO – O evento tem em sua linha de frente, importantes grupos culturais que movimentam, as ruas da cidade, utilizando a arte como ferramenta de expressão quanto as pautas sociais, raciais, gênero, direitos humanos e respeito. Cinema, poesia, stand up, dança e muita música se integram as falas de apoio a luta contra o Racismo e a Intolerância, e, o telão que exibirá dados estatísticos relevantes para o alerta e conscientização da sociedade sobre o quadro social crítico que nos encontramos.

A cultura é, e sempre foi uma importante ferramenta de expressão e protesto, com isso, o encontro será para * Gerar reflexão e conscientização quanto a importância do engajamento popular e dos grupos culturais no combate ao Racismo Institucional e Intolerâncias; Mobilizar os agentes da cultura popular e público em geral para a Defesa da Liberdade Religiosa e do Estado Laico e Homenagear Marielle Franco e Denunciar os 6 meses da execução, sem resposta. Contará com a presença da família de Marielle. O ato prestará solidariedade à advogada negra Valéria Santos, que foi algemada e arrastada em audiência no 3º Juizado Especial Criminal, em Duque de Caxias.

“Queremos juntar as redes culturais do RJ, encorajando os artistas e grupos culturais a utilizarem sua arte em prol da luta contra o racismo e intolerâncias. A cultura é, e sempre foi uma importante ferramenta de expressão e protesto, com isso, queremos gerar reflexão e conscientização” afirma Sami Brasil – Diretora do Instituto Black Bom e vocalista da Banda Consciência Tranquila.

“Precisamos refletir arduamente sobre o caso e todas as formas de arbitrariedade políticas e social que vem crescendo contras as mulheres todos os dias em nossos país. Jamais poderemos aceitar que casos como esse se tornem ‘cotidianos’ no nosso pais. Por isso exigimos uma rigorosa apuração”, afirma Ivanir dos Santos – Prof. Dr. Babalawô e interlocutor da CCIR.

Uma Realização do Ceap (Centro de Articulação das populações marginalizadas), CCIR (Comissão de Combate a Intolerância Religiosa) em parceria com Anistia Internacional e o Instituto Black Bom que assina a produção e articulação dos artistas e grupos.

“A Cultura Popular Carioca têm importante papel na formação de uma sociedade livre de preconceitos. Ferramentas de transformação socioeconômica, as Rodas de Samba, Poesia e Bailes Black, responsáveis pela mobilização de milhares pessoas mensalmente, no Rio. Plataforma pedagógica que integra e promove as culturas de matrizes africanas, na cidade, construindo uma identidade cultural diversa através de suas diferentes práticas”, atesta Marcelo Santos, do CEAP

Sexta – dia 21 de Setembro, das 16h às 22h
Face: https://www.facebook.com/events/252968445404976/?active_tab=discussion
Ubuntu Rio, na Cinelândia
Gratuito