A Cia. Os Crespos lança no dia 30 de agosto de 2017 no Sesc Belenzinho (Rua Padre Adelino, 1000 – Sala de espetáculos II – 3o andar), das 15h às 21h30, o segundo número da revista “Legítima Defesa – Uma Revista de Teatro Negro”. O evento gratuito traz ao público intensa programação cultural que envolve mesa de debates sobre o percurso do Teatro Negro no Brasil, além de shows musicais com convidados, intervenção artística da Cia. Os Crespos e distribuição gratuita de exemplares. Os Crespos contam, novamente, com o apoio da Lei de Fomento para a Cidade de São Paulo e de recursos próprios para sua publicação física e virtual.

A Revista “Legítima Defesa – Uma Revista de Teatro Negro” é uma publicação da Cia Os Crespos. Nela são discutidos critérios estéticos e políticos do Teatro Negro , possibilitando a inscrição e historicização dos processos artísticos. Um dos grandes legados desta iniciativa é que ela poderá, futuramente, servir de base para pesquisas de estudantes de teatro e interessados em saber um pouco mais a respeito do teatro negro brasileiro. A revista aborda questões relevantes
sobre a investigação e debates dos temas referentes à população negra e à representação do negro no Teatro Brasileiro. A importância desta publicação na contemporaneidade reside em seu conteúdo que possibilita maior difusão dos trabalhos realizados nessa vertente. O intuito dos Crespos é fomentar o intercâmbio de pesquisas que impulsionem a criação artística e a formação, tanto de público como dos “fazedores” dessa arte. A revista Legítima Defesa, que
surgiu como uma homenagem ao Movimento “Negritude” e à revista “La Légitime Défense”, de Léopold Sedar Senhor e Aimé Césaire, teve seu primeiro número lançado no segundo semestre de 2014, através de fomento ao projeto “Dos Desmanches Aos Sonhos – poética em legítima Defesa” da Cia Os Crespos, com recursos da Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

Nesse segundo número a revista junta em suas páginas mulheres e homens negros, que compreendem o teatro como uma ação política de discussão social e ferramenta redimensionadora de nossas existências. A publicação segue discutindo tradição religiosa no teatro, falando sobre legado, memória e ativismo, fazendo intercâmbio com o teatro caribenho, discutindo escolhas estéticas e tecendo crítica teatral de espetáculos atuais, apresentando os textos de peças de dramaturgos negros, além da discussão sobre a imagem do negro nas polêmicas sobre black face e personagem negra.

A revista será entregue gratuitamente no evento de lançamento, além de ser distribuída para bibliotecas e entidades de ensino de vários Estados do país, mas também estará disponível na internet no site da Cia, onde o público poderá ter acesso aos dois números da revista. “Estamos muito felizes com o apoio do Sesc para a realização do evento e esperamos que essa junção de artistas e este espaço de debate possam enriquecer e aquecer nossa arte, assim como colocar
em pauta assuntos tão urgentes para o teatro Negro, principalmente em tempos de crise, no qual recursos e reconhecimento estão sendo cortados e negados.”, explica Lucélia Sergio, dos Crespos.

Programação
Das 15h às 17h – mesa de debate – Memória e Ativismo – A história do Teatro
Negro e a cena contemporânea.
A mesa propõe o aprofundamento dos temas discutidos na revista com relação
ao percurso histórico e ao impacto social e artístico desse teatro durante sua
existência, desde 1920. Abordando sua relação com o teatro tradicional e as
estratégias de reconhecimento e inscrição artística. Expondo uma perspectiva
histórica e contemporânea. Com a Cia Os Crespos e Leda Maria Martins.
Debatedor – Leda Maria Martins: Poeta, ensaísta, dramaturga e pesquisadora da
cultura Negra brasileira. Professora na Faculdade de Letras da Universidade
Federal de Minas Gerais UFMG. Suas principais obras são: O Moderno teatro de
Qorpo Santo, 1991; A Cena em Sombras, 1995; Afrografias da memória: O
Reinado do rosário no Jatobá, 1997 Debatedor – Lucelia Sergio (Os Crespos):
Atriz, diretora, pesquisadora de estética negra e arte-educadora especializada em
relações étnico-raciais. Co-fundadora da Cia Os Crespos e co-criadora da Revista
Legítima Defesa.
Mediador: Sidney Santiago Kuanza (Os Crespos): ator, pesquisador de Teatro
Negro e produtor. Co-fundador da Cia Os Crespos e do Coletivo Homens de Cor
e, também, co-criador da Revista Llegítima Defesa.
19h – Intervenção Os Crespos com cenas de sua última montagem “Alguma

Coisa a Ver com uma Missão”, inspirado no célebre texto “A Missão” de Heiner
Müller. O texto convida o espectador para acompanhar a viagem mística de uma
auxiliar de enfermagem e uma gari pelo passado. Elas visitam alguns episódios
de revoluções negras no Brasil e na América Latina.
19h30 – abertura do evento e pocket show Dani Nega e Craca
O músico e a MC levam aos palcos seu manifesto musical poético, político e
dançante. Craca e Dani Nega fazem a fusão do rap, como palavra falada, com o
eletrônico multicultural e experimental. O encaixe surpreendente aconteceu por
razões musicais, mas também pelas convicções em comum, o clamor por justiça
e anseio por transformações sociais. O som vem acompanhado por projeções de
imagens, que cuidadosamente completam a narrativa de denúncias, reflexões e
provocações. Craca é incorporado por Felipe Julián, músico, produtor musical e
artista visual.
20h10 – apresentação do segundo número da Legítima Defesa e distribuição
dos exemplares
20h45 – pocket show Vitor da Trindade e banda O artista está lançando seu
primeiro disco solo, OSSÉ. Composto quase que integralmente, sobre a poesia
de Solano Trindade, traz ritmos que refletem a experiência multi cultural do artista
dentro da música. Cantor, compositor, percussionista e arte educador, Vitor atua
há trinta e cinco anos profissionalmente na música brasileira.
21h30 – encerramento do evento

Serviço

Lançamento da revista “Legítima Defesa –
Uma Revista de Teatro Negro”
Quando: dia 30 de agosto, das 15h às 21h30

Onde: Sesc Belenzinho – Rua Padre Adelino, 1000 – 3o andar

Telefone para informações: 11 – 2076-9700

Grátis