Após o enorme sucesso da estreia de Rés, a Corpórea Companhia de Corpos volta a apresentar o espetáculo que agora faz parte da programação de “Negritudes Convergentes: Danças Independentes”, projeto da Cia Sansacroma que vai até o dia 26 de Novembro, na Funarte. Rés aborda as várias formas de encarceramento de tudo o que se levanta como feminino e a vulnerabilidade desses corpos no Brasil, propondo importantes reflexões através da dança.  

RÉS É A PRIMEIRA OBRA DA CORPÓREA QUE PRÕPOE REFLEXÕES SOBRE O CORPO NEGRO E PERIFÉRICO

A Corpórea convida o público a conhecer esta produção em dança que busca evidenciar corpos negros em ações cotidianas, seu protagonismo, e refletir sobre a invisibilidade inerente ao nosso contexto social.

Nos dias 02 e 03 de novembro, às 19h30, a Corpórea Companhia de Corpos apresenta o espetáculo Rés, no Complexo Cultural Funarte, como parte da programação do projeto “Negritudes Convergentes: Danças Independentes”, produzido pela Cia Sansacroma, que vai até o dia 26 de Novembro.

O espetáculo Rés, que teve sua estreia com muito sucesso no dia 17 de Outubro no SESC 24 de Maio, propõe uma grande reflexão sobre a situação de mulheres em situação de cárcere no Brasil, sobre a violência existente neste universo contra o gênero feminino, a vulnerabilidade destes corpos até chegar ao momento da prisão e direciona o olhar para quem são essas mulheres encarceradas de diversas formas (física e metaforicamente).

Para além das grades e cadeados, “Rés” lança questionamento sobre quantas portas fechadas já existiram, existem e ainda existirão na vida destas pessoas que, de certa forma, são marcadas por serem mulheres negras. A obra faz uma análise também sobre o entorno e sobre as mulheres que acabam levando uma vida de encarceramento por terem companheiros, filhos e outros familiares em situação de cárcere.

Com direção geral de Verônica Santos, “Rés” é uma produção em dança e a primeira obra de uma trilogia em construção da Corpórea, que investiga uma outra forma de pesquisa e um novo olhar sobre como transladar o corpo negro cotidiano para a cena. Na sequência haverá uma montagem em teatro e depois um espetáculo em dança com aspectos performativos sobre a memoria do corpo e sua máscara, a pele.

O QUE: Estreia ‘Rés’

QUANDO: 2 e 3 de novembro de 2017, às 19h30

ONDE: Complexo Cultural Funarte SP. Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos, São Paulo