Danças da Guiné e provérbios de outros lugares da África compõem a programação do Fim de Semana em Família

A dançarina e percussionista Mariama Camara comanda a oficina Danças étnicas da Guiné, com o intuito de possibilitar o contato com a história e a diversidade das artes e culturas africanas; ela também apresenta o espetáculo Langnifan África (A união dá a força) baseado em velhos provérbios daquele continente; ainda, o público tem à sua disposição o tradicional Cantinho da Leitura e a Feirinha de Troca

A tradição das aldeias e dos balés nacionais da República da Guiné, país africano situado entre Senegal, Mali, Costa do Marfim, Serra Leoa e Libéria, direcionam a programação do Fim de Semana em Família, que acontece nos dias 22 e 23 (sábado e domingo). Às 14h, a dançarina e percussionista Mariama Camara irá difundir os costumes Mandingue na oficina Danças étnicas da Guiné para dar a conhecer música e danças culturais do oeste do continente. Mais tarde, a partir das 16h, ela apresenta os cantos e coreografias tradicionais dos Sussu – etnia da Guiné Conacri – no espetáculo Langnifan África (A união dá a força).

Toda a programação conta com interpretação em Libras e os espetáculos também tem audiodescrição, um recurso de acessibilidade que amplia o entendimento das pessoas com deficiência visual, em eventos culturais, por meio de informação sonora. Como de costume, o Fim de Semana em Família organiza, ainda, o Cantinho da Leitura e a Feirinha de Troca, que ficam à disposição do público no piso térreo, a partir das 11h30, com o objetivo de despertar o interesse das crianças para a leitura.

Oficina

Dividida em quatro etapas a oficina Danças étnicas da Guiné integra os movimentos da dança étnica tradicional à linguagem contemporânea dos balés guineanos. Ao ser vivenciada, a coreografia promove a releitura dos movimentos clássicos em contextos diferentes de sua origem. Começa com alongamento e aquecimento com o ritmo Kassa, de origem Malinkè, é tocado durante o período de colheita no campo. Em seguida, Mariama apresenta os instrumentos a serem utilizados, como djembe, dunun, sangban, kenkeni, para que os participantes possam compreender como a música está diretamente ligada à dança e memorizem a célula rítmica. A segunda parte demonstra toda a coreografia, em um passo por passo de toda a sequência. Por fim, ela ensina a técnica, aprimorando cada movimento com as crianças e seus acompanhantes.

A última etapa da oficina é iniciada com uma pequena aula sobre a história, a lenda dos povos e sua origem na África do Oeste, para melhor compreensão do significado dos ritmos interligados às danças. Na sequência, já divididos em dois grupos, os participantes aprendem o canto tradicional, finalizando com a junção da música e da dança de modo a formar a sequência coreográfica no estilo dos balés de Guiné.

O objetivo da atividade é promover a divulgação das formas expressivas desse povo, além de possibilitar uma imersão nas linguagens e vivências e contato com a história e a diversidade das artes e culturas africanas.

Espetáculo

Após todo o conhecimento sobre os costumes dessa etnia, adultos e crianças assistem Langnifan África (A união dá a força). A apresentação traz em sua obra coreográfica velhos provérbios do continente, como Tiriba, cerimônia em general para festejar a alegria entre os povos, e Yankadi, dança de sedução para jovens homens e mulheres, por meio dos cantos, ritmos e danças. O espetáculo faz com que a plateia viaje pelo universo da cultura africana tradicional Sussu e promove uma troca de experiências culturais e o conhecimento de matizes dos costumes do continente.

Cantinho da Leitura e Feirinha de Troca

Como já é tradição no Fim de Semana em Família, a partir das 11h30, o público tem a opção de começar a se divertir com o Cantinho da Leitura e a Feirinha de Troca. No livro O mar que banha a ilha de Goré, de Kiusam de Oliveira, o leitor fará o caminho inverso das viagens empreendidas pelos africanos escravizados a partir do século XVI. Pelas mãos de Kika, conhecerá uma terra rica e cheia de histórias, e poderá encontrar o caminho para compreender a história afro-brasileira e ajudar a delicadamente incluir o negro e sua trajetória traumática no imaginário da formação da cultura brasileira. Essa e outras histórias podem ler no Cantinho da Leitura, onde estão disponíveis 30 publicações do acervo infantojuvenil da biblioteca do Itaú Cultural. Uma oportunidade para novos aprendizados e descobertas.

Sobre Mariama Camara

Nascida em Guiné, vive no Brasil há nove anos, como dançarina, percussionista, cantora, coreógrafa e professora. Sua carreira artística é consolidada internacionalmente desde 1999. Integrou o Les Ballets Africains (1999-2007), dançou com artistas renomados como Youssou N’dour, Youssouf Koumbassa e Salif Keita. O trabalho de Mariama representa a difusão da diversidade cultural africana, a imersão no conhecimento da história da diáspora da África do Oeste. Ela o realiza de forma pedagógica e performática com o tripé dos movimentos corporais, cantos e toques de ritmos que permitem a releitura de significados ancestrais que são transmitidos de geração em geração nas aldeias e nos balés de Guiné.

SERVIÇO:

FIM DE SEMANA EM FAMÍLIA

Dias 22 e 23 de julho (sábado e domingo)

Às 14h

Oficina: Danças étnicas da Guiné  

Duração: 90 minutos

Classificação indicativa: Livre

Local: sala multiúso

Capacidade: 40 crianças com 1 acompanhante cada uma

Entrada gratuita

Inscrição a partir das 13h30

Interpretação em Libras

Às 16h

Às 16h

Espetáculo: Langnifan África (A união dá a força)  

Duração: 60 minutos

Classificação indicativa: Livre

Local: Sala Itaú Cultural

224 lugares

Entrada gratuita

Distribuição de ingressos:

[Ingressos distribuídos a partir das 14h]

Interpretação em Libras e audiodescrição

 

Das 11h30 às 16h30

Cantinho da Leitura e Feirinha de Troca

Piso térreo

Itaú Cultural

Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô

Fones: 11. 2168-1776/1777

Acesso para pessoas com deficiência física

Ar condicionado

Estacionamento: Entrada pela Rua Leôncio de Carvalho.

Se o visitante carimbar o tíquete na recepção do Itaú Cultural:

3 horas: R$ 7; 4 horas: R$ 9; 5 a 12 horas: R$ 12

Com manobrista e seguro, gratuito para bicicletas.