O grupo Clã do Jabuti apresenta, em 23 e 24 de setembro, o espetáculo infantil “Eleguá, Menino e Malandro”, no Sesc Pinheiros. Com direção e dramaturgia de Antonia Mattos, a peça destaca Eleguá, o mais importante orixá na santeria cubana. Representado por uma criança, ele é muito travesso, zombador e brincalhão.
 
A montagem investiga, de forma lúdica, a ancestralidade africana na cultura de países como Cuba e Brasil, desde a tradição oral, passando pela música, pelas danças afro-brasileiras e afro-caribenhas. A história divide-se, em um primeiro momento, em narrar a criação do mundo a partir da visão ancestral africana, o nascimento e a relação de Eleguá com sua família. Logo a seguir, a rua torna-se cenário dos acontecimentos e a encenação procura aproximar o orixá das crianças e dos jovens de hoje. Para isso, recorre a elementos de rap, funk e blues, além de movimentos de expressão cultural e identidade negra.
 
Com composições do diretor musical Jonathan Silva, a peça conta com instrumentistas ao vivo no palco e compartilha a expressão oral por meio de cantigas e ritmos dos tambores da diáspora africana nos sons afro-cubanos, chamado de santeira, e na musicalidade afro-brasileira. A música traduz a cultura, a espiritualidade dos antepassados e sua sabedoria ancestral. Por isso, os batás, tambores sagrados africanos usados na santeria cubana, protagonizam a trilha.
 
Ao desmistificar a imagem de Exu, que, muitas vezes, tem suas histórias e características distorcidas, a encenação aborda valores associados ao universo africano e leva ensinamentos a crianças e adultos que quebram barreiras de preconceito e discriminação.
 
Como em Cuba Eleguá é retratado como uma criança que gosta de muitas brincadeiras, ​como amarelinha, bolinha de gude, cantigas de roda, passa anel, roda pião, entre outras, além do espetáculo, nos mesmos dias ocorre a atividade “No Quintal de Eleguá”. Com duração de 1h30, a atividade se propõe integrar o público ao universo do orixá através​ ​da prática dos ritmos e cantigas presentes e pesquisados durante o​ ​processo de montagem da peça, desta forma, trazendo à tona a importância de tais práticas​ ​para a vivência do espaço e do momento coletivo para e pelas crianças.
 
 
SINOPSE:
Eleguá é um príncipe muito esperto. Todo mundo tem medo das suas artimanhas e malandrices de moleque. Mas, um dia, o menino bota o pé na estrada e vai descobrir o mundo… Andou de cidade em cidade. Brincando, pulando e perambulando, encontrou lugares e pessoas para ajudar e ser ajudado. Vivendo sua meninice nas ruas, ele cresce, se apaixona, amadurece, ganha corpo e sabedoria ao longo das aventuras que vive no caminho. Até que um dia decide voltar! Mas nem tudo está como era antes…
 
FICHA TÉCNICA:
Direção e dramaturgia: Antonia Mattos
Direção musical e composições: Jonathan Silva
Desenho de luz: Luciana Ponce
Cenário e figurino: Éder Lopes 
Direção de movimento e preparação em danças afro-cubanas: Alexei Ramos
Elenco: Verônica Santos, Renato Caetano, Rubens Alexandre, Adilson Fernandes e Jonathan Silva
Técnico de som, luz e cenário: Edson Luna
Produção: Clã do Jabuti e Tamara David
 
SERVIÇO:
 
ELEGUÁ, MENINO E MALANDRO
Quando: 23 e 24/9 (Sábado e domingo, às 16h)
Local: Praça
Ingressos: Gratuito – sem retirada de ingressos
Recomendação etária: Livre
 
VIVÊNCIA ‘NO QUINTAL DE ELEGUÁ’
Quando: 23 e 24/9 (Sábado e domingo, às 12h)
Local: Praça
Ingressos: Gratuito – sem retirada de ingressos
Recomendação etária: Livre