Gritaram NEGRA e nós respondemos, talvez não de primeira, posto que é difícil se enxergar como MULHER NEGRA em uma sociedade que alimenta o mito da democracia racial ao mesmo tempo em que constrói seus valores nos moldes eurocêntricos e machistas.

NEGRA somos e estamos nos (des) construindo, respondendo que o tornar-se negra é urgente para que possamos nos tornar protagonistas de nossas vidas, dos nossos corpos, dos nossos afetos, das nossas vozes!

Pretendemos que este seja um primeiro espaço pensado por algumas estudantes – mulheres negras – com o intuito de encontrar mais e mais pretas para construirmos uma rede de solidariedade com ouvidos, bocas, braços e pernas para compartilhar experiências, reconhecer nossas particularidades, ocupar o espaço acadêmico com nossas demandas e nos organizar e articular futuras ações aqui, mas também que extrapolem os muros enclausurantes da universidade, pois, afinal, nossos passos vêm de muito longe…

-> O Seminário é gratuito, com inscrição a ser feita no dia do evento (8h)

-> Este evento é aberto para todos os sexos e gêneros, orientações sexuais, raças, pois a nossa luta deve ser plural e de respeito para com a diferença.Mas, o protagonismo e construção é das mulheres (cis-trans) negras; nosso espaço de voz e de vez.

** Quando uma sobe, puxa a outra**