Com distribuição gratuita, a obra traz retratos, artigos e histórias de vida das pessoas que Marcela encontrou em seu percurso pela Amazônia nos últimos quatro anos. Dividido em duas partes, a publicação reflete sobre a diversidade negra presente na Amazônia partindo do conceito de “gradiente negro” para exemplificar a miscigenação presente neste território.

“Lançar o catálogo é um caminho para multiplicar o poder de alcance desta discussão, uma vez que a escrita possibilita ampliar a reflexão sobre os diferentes aspectos da negritude amazônica, brasileira, fazendo deste um registro importante para a memória das populações negras. Com isso, é possível propor uma outra condição de debate, que parta de nós mesmos, com aspectos da nossa história, como sempre deveria ser tratada a história do negro.  Podemos ser centro e protagonistas, assim como é o caso de Rondônia na pauta da Amazônia Negra”, aponta Bonfim.

Nas mais de 60 páginas que compõem o livro, é possível encontrar ainda fotos e textos que versam sobre as mais diversas religiosidades presentes na vida das populações negras do local e quão importante são essas manifestações para a formação cultural brasileira.

O QUE: Lançamento do catálogo “Amazônia Negra”

QUANDO:  20 de novembro,  às 11h

ONDE: CAIXA Cultural São Paulo  Praça da Sé, 111 Centro – São Paulo – SP