Mapeamento coleta demandas de comunicadores sobre desenvolvimento da Internet

Iniciativa leva preocupações e hábitos de comunicadores para o Fórum da Internet no Brasil

De 09 à 19 de setembro, a Plataforma Conexão Malunga, a Desvelar e o Laboratório de Políticas Públicas e Internet (LAPIN) realizam o Mapeamento de Comunicadores sobre TIC’s (Tecnologias da Informação e Comunicação), levantamento criado com o objetivo de coletar as demandas de comunicadores de todas as regiões do Brasil sobre o desenvolvimento da Internet e outras tecnologias, tendo em vista o combate ao racismo e outras opressões interligadas.

A iniciativa integra os esforços das três organizações para o Fórum da Internet no Brasil, ambiente de diálogo sobre o desenvolvimento da tecnologia organizado pelo Comitê Gestor da Internet, órgão regulamentador da Internet no Brasil. Para participar, basta responder as perguntas do formulário disponibilizado neste link.

O Mapeamento de Comunicadores sobre TIC’s integra-se ao processo de escuta e diálogo com comunicadores, preenchendo uma das prerrogativas do fórum, que é a relação com o público do evento. Podem inscrever-se no mapeamento estudantes, docentes e pesquisadores da área de comunicação, assim como profissionais que trabalham com blogs, influência digital, comunicação comunitária, jornalismo e produção cultural.

Os resultados parciais serão apresentados no dia 25 de setembro, às 14h, no Fórum de Internet no Brasil, através do painel “Caminhos contra o hiato digital: desafios pela igualdade racial nas TIC’S”. De acordo Mariana Gomes, co-fundadora da Conexão Malunga, o painel apresenta “o desafio de debater a construção de estratégias compartilháveis contra as discriminações, considerando questões do acesso à governança da Internet e outras TIC’s. Para isso precisamos escutar os apontamentos, percepções e demandas de comunicadores do nosso país, no esforço de contribuir com as pesquisas que relacionam tecnologias digitais e combate ao racismo e outras opressões”, explica.

Posteriormente, será organizado um relatório por parte das três organizações, com todos os dados e contribuições do painel para que os atores do setor governamental, técnico, industrial e terceiro setor possam tomar medidas de combate ao racismo e outras opressões interligadas no contexto de criação e desenvolvimento de tecnologias. A coleta de dados segue o que propõe a Lei Geral de Proteção de Dados (13.709/2018), em usos exclusivamente acadêmico e jornalístico.

Sobre

A Conexão Malunga é uma plataforma de discussões sobre o uso das TIC’s para emancipação, organizada através dos saberes afrobrasileiros. Desenvolvida por jovens negros da Bahia e de Sergipe, em um ano participaram de mobilizações importantes como o Manifesto da Mídia Negra, do Fórum Permanente de Igualdade Racial (FOPIR), e é uma das mais de 50 organizações de Direitos Humanos que integram a nota contra propostas normativas que poderiam levar à criminalização e vigilância dos movimentos sociais ao tratar de “fake news”, tendo em vista a votação da PL 2630/20, mais conhecida como PL das Fake News.

A Desvelar é um projeto criado pelo professor Tarcízio Silva, pesquisador em Tecnologia e Sociedade e um dos pioneiros sobre os estudos de racismo algorítmico no Brasil. A iniciativa é voltada a trazer novas luzes ao estudo de tecnologia, raça e sociedade através da exploração de conhecimento afrodiaspórico e decolonial.

O Laboratório de Políticas Públicas e Internet (LAPIN) é um think tank brasileiro, independente e sem fins lucrativos, que congrega pesquisadores, advogados, engenheiros e representantes dos setores público e privado com o objetivo de compreender e apoiar o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para a regulação das tecnologias digitais. “O mapeamento ajudará a entender como recortes de raça e gênero impactam no universo de agentes das comunicações em TICs. Para que possamos ter um maior alcance, nos ajude respondendo e compartilhando o formulário”, afirma Thiago Moraes,  Mestre em Ciências da Informação e conselheiro presidente do laboratório.