O combate à Intolerância Religiosa e Racismo em debate no Amapá

O Estado do Amapá absorve um conjunto de tradições, lendas, crenças e costumes típicos de um povo que tem uma cultura rica em saberes populares, culinária, dança e arte. Traz ainda diversas influências indígenas, africanas e religiosas. Mas o amapaense, como o resto do país, também sofre com o racismo e intolerância religiosa, a cidade tem uma demanda gigantesca por diversas políticas públicas que solucionem os principais problemas sociais.
Para abordar esses temas, o Dr. Prof. Babalawô Ivanir dos Santos, cumpre agenda social, política e educacional no Norte, esteve ontem, no bairro do Laguinho, no gabinete de Maria Carolina, diretora-presidente do IMPROPIR – Instituto Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.
É uma honra receber o babalawô Ivanir dos Santos, sabemos o destaque que ele tem nacionalmente e a importância dele para o desenvolvimento do negro, nós estamos construindo o nosso comitê de combate a intolerância religiosa, e esse diálogo para o senário nacional é muito importante a nível de município também”, destacou Maria Carolina, que presenteou Ivanir com a cartilha: “Ecoando Marabaixo na Ciranda dos Saberes”, que estão sendo destinadas às escolas municipais que possuem Ensino Fundamental I, de 1° a 5° ano, para serem utilizadas dentro das salas de aula trabalhando a inclusão e o desenvolvimento cultural.
Para o Dr. Marcos Vinicius de Freitas Reis, o encontro ganhou ideias e reforços para uma construção acadêmica. “Ter o Ivanir, professor da UFRJ do curso de história comparada fortalece o nosso debate em respeito às questões da intolerância religiosa e racismo religioso. Para aumentar esse diálogo acadêmico, principalmente na formação de professores e projetos de pesquisa nessa pauta“, declarou o Diretor do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas e Docente da Universidade Federal do Amapá – UNiFAP.
Um histórico singular. Há 40 anos atuando em prol das liberdades, dos direitos humanos e das pluralidades. O Babalawô Ivanir dos Santos – Pós-doutorando em História Comparada (PPGHC/UFRJ), dos muitos títulos, é Membro da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN). Conselheiro Estratégia do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP). Interlocutor da CCIR – Comissão de Combate à Intolerância Religiosa.
A parceria pretende fomentar a necessidade de equidade étnico-racial no acesso aos direitos e às políticas públicas dos povos tradicionais. A agenda contou ainda com a participação de Aluízio Carvalho, do movimento negro do Amapá.