Prosseguindo com o projeto #NatasemSolos, o Núcleo Afro-Brasileiro de Teatro de Alagoinha – NATA apresenta no dia 16 de novembro, às 20h, o solo Rosas Negras, interpretado por Fabíola Nansurê. Com dramaturgia de Fernanda Onisajé, o espetáculo fala da mulher negra do ponto de vista das vitórias. A apresentação ocorre no Teatro Sesc Senac Pelourinho.

O solo aborda questões “que nos machucam, mas de modo a mostrar como vencemos todas essas barreiras e como estamos desenhando o nosso futuro”. “Rosas Negrasparte da vontade de querer me ver em cena no parâmetro da vitória”, declara Onisajé, que também assume a coordenação artística do NATA.

Este solo é uma ode à afirmação da autoestima da mulher negra em todas as instâncias. Onisajé buscou referência a respeito das Yamis, mães ancestrais, fonte primeira do poder feminino. No Candomblé, existe uma cerimônia no processo de iniciação onde o poder feminino é representado por estas divindades.

O texto é um ritual de saudações a elas e a todas as Yabás. “Juntei esse ritual com as histórias de mulheres negras que tanto contribuíram na luta por nosso empoderamento e emancipação, faço uma homenagem a elas todas citando algumas delas no texto do espetáculo”, pontua a dramaturga.

A respeito desse preito, Fabiola Nansurê fala que é uma satisfação imensa trazer a “voz de nós mulheres negras”. “Não é um clichê quando falamos que juntas somos mais fortes e que representatividade importa. É na infância que podemos plantar a semente da autoestima e da referência”, completa.

O QUE: Solo Rosas Negras

QUANDO: 16 de novembro de 2017

ONDE: Teatro Sesc Senac Pelourinho –