4ª Marcha do Orgulho Trans

A edição online, realizada com apoio da Rede Brasil do Pacto Global da ONU, traz o tema Banheiros Inclusivos, com o intuito de conscientizar a sociedade e tornar esses espaços menos violentos para a população Trans quando o isolamento social acabar 

A 4ª Marcha do Orgulho Trans de São Paulo, que esse ano ganha versão online, acontece nos dias 04, 11, 18 e 25, todas as sextas-feiras de junho, a partir das 19h, no canal da SSEXBBOX, do YouTube. Com o tema “Banheiros Inclusivos”, a edição busca problematizar o quanto esses ambientes são violentos e hostis para a população trans, e conscientizar as pessoas. “Quando as pessoas voltarem a ocupar o mundo e os lugares, quanto esses espaços podem ser receptivos e inclusivos? E para quem? Que mundo as pessoas trans vão encontrar?”, indaga Pri Bertucci, pessoa trans não binaria, idealizadore da marcha trans, CEO da [DIVERSITY BBOX] consultoria especializada em diversidade e equidade; e fundadore do Instituto [SSEX BBOX], que comemora 10 anos esse ano e é responsável pela curadoria e realização do evento.

Com base numa pesquisa prévia, feita pelo Instituto [SSEX BBOX] em parceria com a Rede Brasil do Pacto Global da ONU, que mapeia as violências sofridas nos banheiros, o evento desse ano traz a problemática e a solução para as instituições e espaços onde o índice de violência contra pessoas Trans é mais alto. Ambientes como: shoppings centers, líder disparado, seguido de baladas, restaurantes, academias, museus, cinemas, empresas, entre outros. A pesquisa segue em curso e pode ser respondida no site da Marcha.

Cada pessoa deve utilizar o banheiro conforme seu gênero e não conforme o seu corpo/genital. Mas a realidade do preconceito vem do problema que a maioria das pessoas não aprendeu ainda a separar corpo de identidade. O que existe é uma falta de compreensão generalizada sobre as existências Trans, e isso complica as coisas”, complementa Pri Bertucci.

Ainda sobre as violências sofridas pelas pessoas Trans nesses espaços, alguns depoimentos colhidos na fase beta da pesquisa, Bruno relata “Geralmente quando ocorre, as pessoas lançam olhares discriminatórios, o que faz eu me sentir deslocado e com vergonha. Para evitar isso, eu geralmente fico encarando o banheiro a espera de que ele esteja totalmente vazio e ao entrar me apresso para não me encontrar com a próxima pessoa que for utilizar”. 

Uma pesquisa de 2016 do National Center for Transgender Equality dos Estados Unidos apontou que 60% das pessoas trans evitavam usar banheiros públicos por medo de assédio ou agressões. Apesar de ser um dado americano, sabemos que o Brasil é o país que mais mata pessoas Trans no mundo. A adoção de banheiros inclusivos no trabalho pode aumentar a segurança deste grupo tão vulnerável em nosso país. Além disso, uma pesquisa da revista Behavioral Public Policy da Cambridge University Press aponta outros benefícios de banheiros inclusivo e de gênero neutro: redução de espera para quem precisa usá-los e até mesmo redução de custos de construção e manutenção por parte das empresas. Precisamos discutir este tema ainda tão cheio de tabus e desinformação em nosso país”, diz Carlo Pereira, Diretor executivo do Rede Brasil do Pacto Global da ONU. Fontes: https://bityli.com/wCQHv, https://bityli.com/imIvB, https://bityli.com/AdJcU

“A solução é bastante simples, em teoria e na prática: é só incluir uma nova sinalização para que todes possam usar o banheiro que corresponda a quem são, independentemente de estarem fazendo uma transição de gênero. Quando voltarmos desse isolamento social, queremos encontrar ambientes mais inclusivos. Aproveitem esse tempo para adequar os espaços com uma simples ação; é só fazer o download das placas e sinalizações inclusivas no site do orgulho trans“, finaliza Pri Bertucci.

Para a edição de 2021, a Marcha idealizou uma programação plural, abordando diversas pautas. Serão seis #TRANSTALKS, sendo o primeiro, no dia 04 de junho, com o tema #BANHEIRO INCLUSIVO em parceria com Livres e Iguais da ONU Brasil e Rede Brasil do Pacto Global da ONU. Entre os convidades, participam Erika Hilton, Vereadora mais votada do Brasil e ativista dos Direitos Humanos, Carlo Pereira, Diretor executivo do Rede Brasil do Pacto Global da ONU, Leonardo Peçanha, Mestre em Ciências da Atividade Física (PGCAF-UNIVERSO), especialista em Gênero e Sexualidade (IMS/UERJ), Angela Pires Terto, Assessora de Direitos Humanos na ONU Brasil – Acnudh / Livres E Iguais, a mediação é de Pri Bertucci, fundadore da Marcha do Orgulho Trans e do Instituto [SSEX BBOX].

*A programação completa do evento você encontra no site ORGULHO TRANS
*Informações sobre a campanha “Banheiro Inclusivo”

 

O QUE: 4ª Marcha do Orgulho Trans

QUANDO: 04, 11, 18 e 25 de junho de 2021

ONDE: No canal da [SSEX BBOX] do Youtube

Site oficial: http://orgulhotrans.com.br/