Criadoras produzem crônicas e fotografias a partir da experiência do luto

Substantivo Luto é um e-book que reúne 17 crônicas escritas pelas autoras Ana Fernanda Souza e Mônica Santana e fotografias produzidas por Priscila Fulô para refletir e sentir a vida a partir da experiência de perda

Em tempos de exceção, em que a perda das vidas acontece em intensidade nunca vista em nossa história, faz-se necessário falar do luto e reconhecê-lo como uma questão deste momento no Brasil e no mundo. Sem medo de tocar em temas delicados, as duas jornalistas Mônica Santana e Ana Fernanda Souza produziram uma série de crônicas a partir da própria vivência do luto entre 2020 e 2021. Também vivendo sua perda familiar, a fotógrafa Priscila Fulô registrou o cotidiano com a ausência de sua mãe. Dessa experiência de tornar comum aquilo que parece muito pessoal, as criadoras criaram o projeto Substantivo Luto – Criações para recriar, que lança um e-book, reunindo as crônicas e fotografias e o site (http://www.substantivoluto.com.br), onde o livro pode ser baixado gratuitamente. A obra será lançada no dia 17 de abril, em uma live às 21h, no canal @substantivoluto, no Instagram.

Amigas de longa data, as criadoras perderam suas mães num espaço próximo de tempo, em meio a pandemia, também passando a verificar entre as pessoas queridas uma constância de perdas e uma necessidade de refletir sobre isso. Emergiram daí as crônicas escritas pelas duas escritoras, que produziram crônicas que olham tanto para suas experiências pessoais e cotidianas, quanto para uma reflexão sobre a experiência do luto coletivo.

Criações para Recriar – Segundo Mônica Santana, Substantivo Luto nasce como uma necessidade de olhar para a experiência da perda não para ser superada, para ser esquecida, mas para ser lembrada e lida como um ponto de passagem das nossas  vidas, especialmente num momento como esse. “Atravessamos uma parte dos nossos lutos, produzindo textos e imagens, fazendo do ato criativo um exercício de recriar a nós mesmas e acreditar que a arte sana dores” afirma a jornalista e dramaturga.

“Escrever sempre foi uma forma de me entender, fui daquelas crianças e adolescentes que tinha diário. A própria escolha da profissão, jornalismo, foi feita pelo desejo de escrever. Não foi fácil escrever a respeito de um processo tão doloroso como o luto mas, ao mesmo tempo, foi mais do que necessário para lidar com tudo o que estava acontecendo”, revela Ana Fernanda Souza.

As fotografias de Priscila Fulô descortinam os dias de ausência de sua mãe, o novo cotidiano de desfazer de objetos e espaços que eram preenchidos de sua presença, com um olhar sensível e melancólico. Segundo a fotógrafa, “a intenção era produzir imagens que trouxessem de forma íntima o luto, mas também os sentimentos novos, dúvidas simples sobre quantos pães comprar agora que minha mãe não está mais aqui? As fotografias mostram a passagem de tempo e trazem essas reflexões sobre como seguir, o que  fazer e a busca de novo sentido a partir da perda”.

O escritor e poeta Alex Simões assina o prefácio do e-book e afirma que “Ana Fernanda e Mônica nos lembram da importância dos ritos”. A primeira nos relata dois lutos, como filha, como amiga-sócia, e sendo mãe do neto que conviveu intensamente com a avó em seu final de primeira infância. A segunda nos apresenta o luto de filha que remete aos lutos da sobrinha e neta, na partilha da dor com sua irmã, Priscila Fulô, que assina os registros fotográficos presentes neste livro. As escritoras retornam às casas de suas mães/de suas infâncias no processo de cuidar (um tema tão importante e para o qual nós, sobretudo os homens, não somos e muitas vezes nem queremos ser preparados), e depois para viver e conviver com os espaços físicos repletos de memórias nada abstratas”.

Substantivo Luto será lançado pela Andarilha Edições e contou com a produção de Fabiana Marques, pela Árvore Produtora. O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Serviço

Lançamento do e-book Substantivo Luto

Live com as autoras e com convidadas(os)

Dia 17 de abril, às 21h, no canal @substantivoluto do Instagram

Livro disponível para download no site (a partir de 12 de abril): http://www.substantivoluto.com.br

Booktrailer do livro: https://www.youtube.com/watch?v=C3D37UKdyUM

Bio das Realizadoras

Ana Fernanda Souza

Ana Fernanda Souza abraçou a profissão com a intenção de se tornar escritora. Sua trajetória profissional inclui passagens por jornais de Salvador, trabalhos como educadora e gestora em organizações não-governamentais e criação de conteúdo em marketing digital. Foi palestrante TEDx e representa, em Salvador, o movimento internacional Fashion Revolution, por mais transparência e sustentabilidade na moda. É mestra em Estudos Multidisciplinares da Cultura. “Substantivo Luto” é seu primeiro livro.

Monica Santana

Mônica Santana é jornalista, Performer, Dramaturga, Crítica Teatral e Educomunicadora. Mestre e Doutoranda pelo PPGAC/UFBA. Cursou especialização em Jornalismo e Direitos Humanos pela UniJorge. Bacharel em Comunicação Social pela Universidade Federal da Bahia. Atriz desde 1999. Com o solo teatral Isto Não É Uma Mulata, venceu o Prêmio Braskem 2015 Categoria Revelação, integrando a lista das 25 Mulheres Negras Mais Influentes da Internet em 2015 segundo o site Blogueiras Negras, e nas artes, pelas ativistas feministas do Think Olga. Autora dos solos Sobretudo Amor e Aprendizagem, bem como dirigiu junto com Priscila Fulô, o minidoc Cartografando Afetos, reunindo entrevistas com mulheres negras sobre afetos.

Priscila Fulô

Priscila Fulô é fotógrafa e Bacharel Interdisciplinar em Artes, com ênfase em Cinema, pela Universidade Federal da Bahia. Seu interesse atravessa a fotografia, a direção de fotografia, iluminação cênica e o design.