EU VEJO VOCÊ

Ipadê das Rosas Negras reanima o teatro independente

No último final de semana, no dia 21 de fevereiro, o projeto EU VEJO VOCÊ – Ipadê das Rosas Negras chegou ao fim. Era uma programação gratuita e online, com transmissão ao vivo no canal do Youtube do espetáculo Rosas Negras e na página do Facebook. Houveram 6 exibições do espetáculo Rosas Negras e 3 mesas temáticas sobre o universo do teatro negro.

FABÍOLA NANSURÊ – CREDITOS DA FOTOGRAFIA JOAN SOUZA

Durante o período de 12/2 a 21/2, Fabíola Nansurê, atriz, bailarina e coreógrafa, representou o solo que dá vida ao espetáculo Rosas Negras. Além disso, as mesas temáticas Ipadê das Rosas Negras contaram com a participação de artistas negras com reconhecimento no teatro nacional e baiano.

As artistas convidadas conduziram os diálogos de acordo com as suas experiências. Para “A Trajetória da Atriz Negra na Cena Teatral Baiana”, Berna Alves e Vera Lopes estavam presentes. Em entrevista, Vera Lopes, atriz e uma das fundadoras do Grupo de Teatro Caixa Preta, do Rio Grande do Sul, destacou a mobilização do teatro no evento: “Realmente, nós mulheres negras das artes, das artes cênicas, somos mulheres de muita garra porque com todas as adversidades a gente consegue colocar em cena espetáculos de uma grandeza, uma beleza, como Rosas Negras”.

Nas outras mesas temáticas “Corporeidade Negra na Cena teatral Baiana” e “Visualidades e Poéticas de Encenação no Processo de Montagem do Espetáculo Rosas Negras”, estavam as duplas Edeise Gomes e Edileuza Santos, Tina Melo e Diana Ramos, nesta ordem.

 

Teatro na pandemia

Com dramaturgia de Onisajé, direção de Diana Ramos e direção musical de Jarbas Bittencourt, o espetáculo Rosas Negras traz a beleza, sensibilidade e inteligência da mulher negra, com a intenção de reverenciar a ancestralidade feminina.

Para Fabíola Nansurê, a realização do projeto EU VEJO VOCÊ – Ipadê das Rosas Negras, com exibições do espetáculo Rosas Negras, aconteceu em um momento difícil por causa da pandemia. Fabíola também diz que as artistas negras independentes se encontram em uma situação ainda mais delicada: “Não podemos mais nos apresentar no teatro. E a gente tem que continuar na cena, não é? Principalmente as artistas, que precisam desse lugar para serem vistas, para serem lembradas”.

Em outros momentos, a atriz Fabíola Nansurê também se reinventou para se adequar ao cenário pandêmico. No 1° Ciclo de Lives – Eu vejo você, em que Fabíola atuou como apresentadora, artistas negras de todo o Brasil compartilharam suas experiências no mundo das artes. No Recital Afro-Poético, Fabíola dividiu o protagonismo em um videoarte, com Márcia Lima e Manu Moraes. A base dessas produções é o espetáculo Rosas Negras, apoiado pelo mesmo terreiro e ponto de cultura há anos, o Ilê Axé Oyá L’adê Inan.

MÃE ROSA DE OYÁ – CREDITOS DA FOTOGRAFIA CRIATIVIDADE VISUAL

Ilê Axé Oyá L’ade Inan

Atuando como uma casa de axé, cultura e arte, o Ilê Axé Oyá L’adê Inan recebeu o projeto EU VEJO VOCÊ – Ipadê das Rosas Negras.

A yalorixá e incentivadora cultural, Mãe Rosa de Oyá já apoiou mais de 40 atividades artísticas. Desde 2008, foram aproximadamente 10.000 espectadores. Ainda assim, mãe Rosa afirma “Se muito já foi feito, agora temos que fazer ainda mais, nosso povo merece nosso melhor”.

Filha de Nanã e àjòyé de Iansã, Fabíola Nansurê acredita que estar dentro de um Ilê Axé prestando homenagens às mulheres negras foi sensacional: “É o resultado da energia que foi mexida e lançada ao universo”.

Agora, as expectativas estão sobre a próxima iniciativa da equipe do espetáculo Rosas Negras, que está criando um catálogo de atrizes negras do estado da Bahia. Em breve, ele estará disponível nas plataformas digitais.

O projeto EU VEJO VOCÊ – Ipadê das Rosas Negras teve apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

O QUE FOI: Espetáculo EU VEJO VOCÊ – Ipadê das Rosas negras

ONDE: Facebook Rosas Negras