Pretas Por Salvador se solidarizam com pastora que sofreu ameaças após realizar casamento homoafetivo

A mandata coletiva Pretas Por Salvador (PSOL/BA), repudiam as ameaças cometidas contra a pastora batista e teóloga, Odja Barros. O caso aconteceu em Alagoas (AL), onde a pastora, na figura de uma autoridade religiosa, realizou, pela primeira vez, o casamento entre duas mulheres e logo após passou a sofrer coações.

As ameaças de morte aconteceram depois da cerimônia religiosa. Odja conta que recebeu fotografias em que colocava a bíblia ao lado de uma arma e mais uma série de coações contra sua vida e a de sua família. A pastora denunciou o crime e espera a atuação das autoridades locais. A mandata, que tem realizado diversas ações pela garantia de inclusão e direitos humanos, se solidariza e presta apoio para Odja Barros em suas redes sociais.

Para As Pretas o caso não é isolado, mas sim um crime que envolve intolerância, ódio, homofobia e misoginia. Estando entre as pautas de atuação da mandata a luta pelos direitos das mulheres, o combate à intolerância religiosa e LGBTQIAP+fobia, o acontecimento ressalta a necessidade desses enfrentamentos que tem sido incessantes.