SOMOS MUITAS CORPAS!

Somos o CORPAS – ENCONTRO DE PERFORMANCES DE MULHERES NEGRAS/RJ – PROVOCAÇÃO NEGRA ESTÉTICA E POLÍTICA

Muitas mulheres negras artistas tem se reunido e circulado em diferentes espaços artísticos. Perguntamo-nos quantas somos, onde estamos e por quais motivos ainda somos tão desconhecidas e nossa arte pouco valorizada. Esses são alguns dos questionamentos que nos levaram a construir o CORPAS. Nos meios tradicionais de arte nós, mulheres negras, representamos um acontecimento relativamente recente, que toma forma com uma paulatina ocupação de espaços de formação e produção, resultando no surgimento de trajetórias significativas na construção da atual cena artística brasileira. O panorama artístico das últimas décadas reúne vasta produção operada por mulheres negras, no entanto, grande parte de fazeres e artistas permanecem invisibilizados.

CORPAS – Encontro de Performances de Mulheres Negras é uma ação concebida pelas artistas negras Danielle Anatólio, Lais Castro, Mariana Maia e Simone Ricco, configurada para reunir, promover trocas de experiências e ampliar a visibilidade de fazeres artísticos. O encontro propõe pensar o ato performático de mulheres negras, seus significados, sua produção e circulação, priorizando refletir sobre performances realizadas nas periferias, espaços atravessados por fatores sócio-culturais e étnico-raciais que pesam sobre a produção e circulação dos projetos artísticos. Neste sentido, escolhemos o mês de Julho para esta realização como forma de reverenciar o dia 25/07, Dia da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, data que é significativa no histórico da luta das mulheres negras. Queremos abrir a roda para acolher umas às outras e refletirmos juntas sobre os a desafios que temos na cena artística enquanto mulheres que portam corpas, intelecto, afetividades, saberes e histórias negro-femininas.

O CORPAS será não só espaço de visibilidade e credibilização da arte produzida por mulheres negras, mas também lugar de trocas e escuta sensibilizada sobre as tessituras crítico-criativas dessas artistas. Além disso, atuando como espaço de experimentação e debate, o encontro investiga aspectos presentes na cena e por trás da cena performática tocada por mulheres negras em espaços periféricos.

A escolha da Zona Oeste como região periférica abordada está relacionada a diversos fatores, um deles a alta concentração de habitantes negros nos 39 bairros desta área detentora do menor IDH* (Índice de Desenvolvimento Humano) do município, marcada por significativas desigualdades sociais e realidades contrastantes. A população da zona oeste representa 41,36% (2.614.728 habitantes) do total do município do Rio de Janeiro (6.320.446 habitantes). No entanto, a despeito do cenário adverso ao fazer artístico, predominante na maioria dos bairros, mulheres negras da região ganham espaço na cena performática da cidade, aguçando o interesse em investigar seus atos performáticos e questões a eles relacionadas.

Se a periferia é colocada para fora, para longe, como pensá-la no centro das discussões, do olhar? A arte pode fazer da periferia um ponto de convergência? Qual a potência da narrativa periférica? O encontro cura ou é procura? Vamos nos encontrar, ver e ouvir o que tem a dizer e mostrar essas CORPAS negras?

Farão parte dessa grande roda 25 mulheres negras que se inscreveram com vídeo-performances, performances, teatro, dança e música: Carlla Ramos Maranhão, Charlene Bicalho, Coletiva Agbara Obìnrìn, ColetivAs, Flavinny Oliveira, Jaqueline Calazans, Joyce Oliveira, Lais Lage, Michele Pereira da Silva, Scheilla SSol, Sulamita Costa, Verônica Bonfim, Andréia Oliveira, Aparecida Silva, Elis Pinto, Flaviane Damasceno, Renata Sampaio, Aloha DeLa Queiroz, Rafaela Ferreira, Aline Valentim, Lais Castro e Mariana Maia.

 Convidadas: Denise Espírito Santo e Ana Paula Patrocínio

Colaboradoras: Daniele Araújo, Danielle Coutinho, Lourence Alves, Grasiela Araújo, Dai Ramos, Thaís Alvarenga e Marielen Romão

Organização: Danielle Anatólio, Lais Castro, Mariana Maia e Simone Ricco.

 

O QUE: CORPAS!

QUANDO: 21 e 22 de Julho de 2018

ONDE: Rio de Janeiro, Zona Oeste (CASA BOSQUE) e Centro (TERREIRO CONTEMPORÂNEO)