Liberdade amor, amor livre!

Chega nêgo, vem cá, vem?

Eu tô te convidando a me conhecer

Eu te avisei das minhas cicatrizes e te disse das minhas feridas abertas

Eu tô cuidando delas viu? Eu não quero sangrar em cima de ti

Mas vem. Você pode sentir medo, eu também sinto.

Não deveríamos de sentir?

Enquanto tu tira a minha roupa, eu te mostro minha alma nua

Crua e quente.

Vem meu dengo, me dê um cheiro, me abraça forte.

Mas me solta!  Não me sufoca!

Me deixa livre que eu sou pássaro e não gosto de gaiola

Feito semente eu cresço quando tu me deixas molhada

Mas se quando floresço, tu me arrancas… eu morro!

Se tu me amas deixa- me livre, deixa-me ser eu mesma.

Eu te convido a me conhecer profundamente

Se você não gostar pode ir, tu e eu ficaremos bem meu bem

Mas vem cá e diz no meu ouvido que sou tua preta

No entanto, saibas que eu só pertenço a mim e tu pertences somente a ti

A quem mais deveríamos de pertencer? 

Se escolhemos um ao outro é por que tivemos liberdade

O amor só é feliz assim, livre, leve, solto.

Liberdade, amor

Amor livre.

Inaiana Gama

25/04/2019


Imagem destacada – arquivo pessoal

You May Also Like