Ampliando nossa voz (convite às blogueiras negras transexuais)

Desde o começo das nossas publicações, explicitamos que o Blogueiras Negras é uma comunidade de mulheres comprometidas com questões afins à negritude e ao feminismo. Nossa organização é muito simples e toda mulher negra e afrodescendente que se identifique com a nossa proposta pode participar de nossa comunidade e escrever com a gente.

Nesse sentido, uma das nossas constantes preocupações é incluir a polifonia de vozes que o ser mulher engloba. O que temos feito desde então é receber as demandas de mulheres negras, às quais, nem sempre, o feminismo tem sido acolhedor. Estamos atravessadas diariamente pela questão racial e, consequentemente, social nas nossas vivências.

Tão específicas como podem ser nossas existências, permeadas por opressões de toda sorte, determinando os trabalhos que exercemos, o (in)acesso à saúde, direitos reprodutivos e planejamento familiar, nossas sexualidades e relações afetivas, a educação dos nossos filhos, a locomoção e acesso aos espaços das cidades em que vivemos, nossa alimentação e subsistência.

Assim tem sido a trajetória, ainda iniciante, mas muito feliz, da comunidade Blogueiras Negras. E estando felizes com nosso alcance e percebendo que nossas inquietações são tão comuns a outras mulheres, às quais temos acessado através das nossas palavras, ideias e dúvidas e, por isso mesmo, queremos expandir, incluir mais, dar mais voz.

Queremos ter entre nós vozes que representem mulheres negras e transexuais. Até então, entre nossas escritoras, temos apenas representantes cisgêneras. Já escrevemos outra vez sobre transfeminismo, mas, evidentemente, quem pode nos trazer as percepções das vivências permeadas por essas três variáveis – racismo, machismo e cissexismo – são as pessoas que vivem dia a dia essa realidade.

Temos certeza que é nosso dever abrir espaço para que mulheres transexuais falem e representem a si mesmas. Mais que isso, é um desejo nosso que esse espaço seja suficientemente acolhedor para que mais e mais mulheres queiram participar dessa comunidade e nos dar a chance de participar da sua luta. Queremos ser sensíveis às demandas de identidade de gênero e de orientação sexual das mulheres negras.

Então, convocamos aqui as blogueiras negras transexuais para publicar seus conteúdos nesse blog. Contar suas histórias e suas inquietações e ampliar nossa voz, engrossar nosso grito, para que sejamos ouvidas até os confins do mundo.

 

2 comments
  1. Obrigada Maria Daniela, em nome das Blogueiras Negras! Estamos juntas nessa. Se não há direitos para todas não há pra ninguém!

  2. Parabéns blogueiras negras pela iniciativa e particularmente por buscarem as plurais realidades femininas. Nós, transmulheres, apesar da identidade de gênero feminina, somos discriminadas por parte do movimento feminista e muitas vezes desprezadas e discriminadas dentro do próprio movimento LGBT. Com esta iniciativa, vocês se colocam dentro da vanguarda pela lura dos direitos da mulher, assim como trazem à tona o verdadeiro sentido da luta dos(as) oprimidos(as): se unir para se fortalecer e reivindicar os direitos de seres humanos que são esmagados no seu cotidianos e tolhidos(as) da plenitude de sua existência, por uma classe dominante, nem sempre maioria, mas historicamente dominante. PARABÉNS, e sigamos juntas!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You May Also Like
Leia mais

Um texto pra mãe que tem uma filha lésbica

Você nunca quis que eu fosse lésbica. Você nunca quis que eu fosse jornalista (ainda não, mas estou indo de encontro para.). Você nunca quis que eu fosse gorda. Você nunca quis que eu morasse longe. Você nunca quis que eu tivesse cabelo colorido e curtinho. E veja só você no que foi que eu me tornei: naquilo que você não queria. E isso não foi escrito com ironia, mãe. Eu sou subversiva por natureza, percebe? Não faço de propósito, é que eu acredito em mim dessa forma, só assim me sinto bem, forte suficiente pra vencer toda essa muralha de desafios que eu tenho pela frente.