Cabelo pintado é um símbolo de resistência

Estou apenas observando essa moda de homem branco pintar o cabelo de loiro para tirar fotos, ser moderno e descolado, falar que é favelado, como se carregar um cabelo loiro na periferia fosse algo fashion. Mas não, meu amor, sinto em te informar, isso na favela é motivo para um jovem ser violentado pelo Estado.

Moro a vida toda em um beco. Aqui, ter cabelo pintado, cortes com desenho, falha na sobrancelha é colocar a vida em risco, é sofrer violentas abordagens policiais a cada esquina.

12041989_902721986481065_555272446_n

Na zona sul isso é moda, são fotos para as páginas de beleza negra. Mas quando você vê um irmão preto de cabelo pintado vindo de quebrada é motivo para o coração disparar, é o celular sendo escondido no saco. Que relação tem uma coisa com a outra? Toda.

Para brancos de endereço dito respeitável isso é moda, para um jovem negro periférico é uma transgressão que faz a nossa PM racista ver a sua estética, que é empoderamento, como coisa de bandido, cultura do tráfico, neguinho pinchado, freio de mão de viatura. É criminalizar de uma forma racista e preconceituosa algo que faz parte da construção da própria identidade, do ser jovem negro e favelado. Cabelo pintado? Não pode, é coisa de bandido! Certos tipos de roupas, adereços e acessórios? Não pode, é coisa de bandido! Certos gêneros e estilos musicais? Não pode, é coisa de bandido! Certas expressões verbais? Não pode, é coisa de bandido! Ter baile funk na quebrada e os menores curtirem? Não pode porque a PM chega jogando bomba e bala de borracha.

Então, o que resta nessa porra!? Abrir mão de ser jovem, da identidade e estética das periferias, entrar para a delinquência e virar logo bandido pra poder transgredir!? Que opções estão deixando para essa juventude fora a violência policial, o racismo e a cadeia ? Que porra é essa que vem acontecendo de o povo negro achar que lutar contra genocídio é somente ter um black e deixar o cabelo natural? Que moda afro é somente pano amarrado no corpo, tecidos africanos caros. O que esses meninos vestem é o que? Se isso não e resistência , empoderamento, eu não sei o que é!!!!

You May Also Like

A síndrome de Cirilo e o ciclo de violência familiar

Meu pai sempre foi o tipo de negro que fingiu a vida toda que o racismo nada tinha a ver com a vida dele. Sempre negou sua raça e suas origens, o que para mim trouxe consequências terríveis uma vez que nunca me senti a vontade para dividir a dor de passar pelo racismo que eu passava na escola, por exemplo. Como todo negro q ue nega suas origens meu pai não poderia fazer diferente, escolheu uma mulher branca para se casar. As consequências desse ato, que decorreu da falta de orgulho de si mesmo que meu pai sentia, trouxe-me as piores consequências. A mulher que meu pai escolheu, minha mãe, além de ser branca é também racista. Com certeza alguém dirá: impossível! como uma branco racista pode se casar com um negr? A resposta a essa pegunta não é nenhum pouco simples, mas, no caso da minha mãe, e pelo que ela própria relata, parece ter ocorrido uma certa falta de opção.
Leia mais

As mesmas batalhas que eu

Eu e outras mulheres negras contrariamos a dura realidade das pesquisas, na medida que ingressamos na universidade e estamos construindo nossas carreiras. Eu pretendo ascender acadêmica e profissionalmente como contadora, entretanto esse caminho tem nuances que valem a pena serem pensadas: sou negra, sou mãe e sou solteira. O que torna essa trajetória mais complexa, porque encaro três jornadas de trabalho e toda a responsabilidade da maternidade,.

Sobrevivendo apesar da falta de amor: Empoderamento afetivo da mulher negra

O tema afetividade não alude apenas às relações conjugais, mas também às relações familiares e os laços de amizade. Todos esses aspectos carecem de estudos no que concerne à população negra. A abordagem da afetividade seja através de ações e práticas sócio-culturais ou educacionais é fundamental no processo de empoderamento e fortalecimento da auto-estima das mulheres negras.