O racismo nas férias

Minha filha nasceu em 2009 e quando ela tinha 1 ano e 5 matriculei-a na escolinha, paga, porque não consegui vaga na creche, e voltei a trabalhar.

Trabalhei durante quatro anos e 7 meses e, depois de muitas promessas de uma promoção que nunca veio, fui preterida por uma branca e decidi não me subordinar aquela situação, me joguei e desde então, sonhava com as férias em família.

E ela chegou! Ah, as férias! Eu meu marido, minha filha, cunhados e sobrinhos.

Alugamos uma casa em Mongaguá e fomos os sete, curtir sol, praia e água de coco. Escolhemos um quiosque, sentamos comemos, bebemos. Era a primeira vez da minha filha na praia ela estava radiante, feliz e todos nós felizes por proporcionar este momento à ela.

Nos divertimos muito e decidimos ir embora por volta das 19h, pedimos para fechar a conta no quiosque e fizemos a conta de quanto ficaria pra cada um, racharíamos a conta, minha sobrinha pegou dez reais e falou “pai pega aqui pra pagar a conta” nisso passa uma moça e pergunta “estes dez reais são seus ou você achou agora?” ela respondeu “são meus, vou pagar minha conta” – ela saiu, foi até a mesa dela, chamou a mãe e vieram as duas cobrar os dez reais que a filha dela perdeu, e que nós achamos e não queríamos devolver.

Inicialmente não acreditamos no que estava acontecendo, meu esposo argumentou que ela estava errada, que o dinheiro era nosso, ela continuou lá gritando, acusando, querendo “os dez reais dela”. Meu cunhado se encheu e mandou-a se calar. Ela se sentou e ficamos lá rindo da situação. Pagamos nossa conta, arrumamos nossas coisas quando a senhora volta e lança essa “ não precisa devolver não, estou dando meus dez reais pra vocês, isso é troco pra mim ” rimos porque tudo aquilo parecia não estar acontecendo. Ela parecia surtada, e quando nosso protesto foi mais veemente, ela se apressou em sair rapidamente com a filha, ainda gritando e acusando.

Racismo? Óbvio, éramos os únicos negros próximos e logo ela deduziu que éramos os culpados. Antes da nossa mesa, tinha um casal com uma amiga, brancos,  uma outra família numa outra mesa, brancos. Ela os ignorou e veio na nossa direção já com acusações. Racismo sim.

No caminho da casa que estávamos, percebemos a gravidade do que tinha ocorrido quando minha filha falou “mãe a gente não pega nada dos outros”. Nos olhamos e nosso semblante caiu, a tristeza tomou conta de todos, fizemos o restante do trajeto triste pois percebemos a violência que havíamos sofrido.

No Brasil destroem nossa identidade diariamente, tentam nos sufocar, nos calar. Somos perseguidos nos shoppings, somos mortos pela polícia e até na praia, um espaço público dito como democrático, não somos tratados com dignidade, somos os culpados. Porque? Por sermos negros e estarmos com dez reais na mão. Temos que provar que nosso dinheiro é nosso.

É Martin Luther King, ainda não vivemos numa nação onde não somos julgados pela cor da pele.

Imagem destacada: I love Being Black

You May Also Like
Leia mais

Outubro Rosa – Falar de câncer de mama também é falar de racismo

No exato momento em que escrevo, incontáveis mulheres negras estão em tratamento de um câncer de mama. Talvez você ou alguém próxima também esteja passando por uma situação parecida. Então, antes de mais nada, deixo aqui meus sinceros votos de sucesso. Que todas as mulheres, em especial as negras, que passam ou passarão pela doença sobrevivam. Sem racismo, com cuidado e acolhimento que todas precisamos nesse momento.

O medo da raça humana

Quem eles são? O que eles pensam? Sim, há boas e valorosas exceções. Há brancos que sabem que são brancos, sabem dos privilégios inerentes a essa condição e lutam para que os não-brancos também os tenham. Mas os que, por cegueira ou inocência, por ignorância ou má fé, insistem em ser vistos e tratados como “apenas pessoas”, pregando o “somos todos iguais” “somos todos de uma só raça: a raça humana”, sem a preocupação de por quem e para quem o conceito de “raça humana” foi construído, têm uma característica em comum: eles têm medo e tentam, a todo custo, disseminar esse medo.